18
dezembro
2010

Entrevista na revista ABIGRAF

Postado por em tipografia

No meio deste ano dei uma entrevista sobre o curso de tipografia na OTSP para a revista ABIGRAF (Associação Brasileira da Indústria Gráfica), que foi publicada em agosto.

Apenas um trecho da entrevista (que está destacada em outra cor) feita pela Clarissa Domingues saiu na revista, então publiquei ela na íntegra logo abaixo desta sequencia de fotos.

Capa da edição 248 Julho/Agosto 2010 Matéria Detalhe da matéria Detalhe da matéria

Por que você decidiu fazer o curso de tipografia?
Decidi fazer o curso de tipografia para ter mais contato com as raízes da tipografia, com os processos manuais e também para ter uma idéia das milhares de possibilidades de criação que temos conhecendo as ferramentas e técnicas da composição manual tipográfica.

Qual a sua opinião sobre o curso? O resultado que você alcançou era o esperado?
Gostei muito do curso. A equipe possui um conhecimento profundo do assunto, o que nos deixa a vontade para tirarmos nossas dúvidas e mergulhar mesmo no mundo da tipografia. Sem contar que o SENAI é uma instituição de exemplo, que além de oferecer uma ótima estrutura por um preço super acessível, nos convida a usar e os consultar sempre que pensarmos em algum projeto.
Acho que o resultado superou minhas espectativas. As limitações da composição manual e do número de tipos nos leva a usar muito o nosso lado criativo para desenvolver cartazes tão impactantes como os que desenvolvemos hoje nos softwares atuais.

Você aconselha outras pessoas a fazerem?
Claro! É um curso de passagem obrigatória pelo designer, mesmo os que trabalham só com web. A tipografia manual ajuda a organizar e aprimorar nossa visão estética.

Quando você conheceu a tipografia? E por que se interessou por ela?
Foi num curso de criação e design antes da faculdade que comecei a saber sobre a tipografia e sua importância. Também comecei a entender seus significados lendo o livro “Design para quem não é designer”, literatura muito conhecida dos designers e aspirantes. Hoje já tenho mais de 10 livros só sobre tipografia.
Me interessei pela tipografia por saber das inúmeras possibilidades que ela pode proporcionar na criação de um projeto de design.

O que você acha das artes gráficas? Há quanto tempo trabalha na área?
Sou suspeito para falar da área. Acho que é uma das melhores para se trabalhar, pois sempre estamos em contato com as artes em geral e que nos ensina também a ter visões diferentes sobre as coisas. Trabalhei em torno de 7 anos como designer em algumas empresas. Hoje atuo como Arquiteto de Informação e, apesar de eu não exercer a função de designer no trabalho continuo estudando e colocando o design em prática em meus projetos pessoais e no meu Blog.

Na sua opinião a tipografia possui atributos (seja de sensações físicas ou outras qualidades) que as demais técnicas de impressão não possuem? Caso sim, quais?
Acho que a tipografia tem um poder de comunicação muito grande principalmente quando aliada à uma forma que a ressalte, não a limitando apenas ao significado da palavra e sim no que está implícito em seus tamanhos, cores, pesos e aplicadas como imagem. Hoje com o a ajuda da computação gráfica essa comunicação pode se tornar ainda mais forte, utilizando a tipografia em vídeos, infográficos e etc.

Você realiza trabalhos com a tipografia? Caso sim, conte sobre deles.
Sim, as utilizo em sketches e trabalhos pessoais. Costumo ver tipografia em tudo e sempre invento um novo set para fazer.
Já fiz alfabetos utilizando fotos de pessoas, com um cachorro, com brinquedo e até com ruas de São Paulo capturadas pelo Google Maps. Também apliquei a tipografia em uma caixa de papelão que deu o que falar.

Como e quando surgiu a idéia de compartilhar experiências curriculares em um blog? Há interesse pela tipografia por parte de seus visitantes?
Como todo designer, no início o intuito era fazer um portfólio, mas ao mesmo tempo eu poderia ali me limitar a postar apenas trabalhos profissionais e no fundo não era bem isso o que eu queria. Queria que fosse algo muito fácil de atualizar, de qualquer lugar, por isso optei também pelo formato Blog.
Achava também que o simples fato de mostrar só o trabalho final no portfólio acabaria escondendo todo o processo que eu fiz até chegar no resultado. Sempre tive paixão por saber como as coisas funcionam, por isso acho que o resultado de um trabalho é a consequência de seu processo.
Além de tipografia também falo muito de fotografia, design e arquitetura de informação no Blog, por isso o interesse do público é bem diversificado.

Veja todos os posts sobre: