06
novembro
2007

Lendas urbanas e as verdades do webdesign

Postado por em design

Imagem da interface do hotsite

Pois é, esse foi mais um de outros que foram e virão como a maioria dos trabalhos de webdesign que são “vomitados” em nosso dia-dia.
Fiz este hotsite em 3 dias de trampo, sem dizer as outras obrigações do dia-dia que surgem a todo momento para você fazer ao mesmo tempo.
Só quem entende de web sabe dizer o quanto é difícil fazer um trabalho bem feito em pouco tempo.

O nome “webdesigner” banalizou um pouco devido a “profissionais” de mal exemplo no mercado que se vendem a preço de banana e fazem um serviço porcalhão. E por isso acabou que na maioria das vezes os bons profissionais não tem o seu devido valor.

O verdadeiro webdesigner tem muitas vezes que conceber a idéia, fazer um wireframe, layoutar, ilustrar, capturar imagens da web, tratar, cortar, salvar em outro formato, animar, programar, fazer com que aquela fonte que só fica boa na revista impressa ficar legível em 2 pts com animação, deixar isso leve para a web, se preocupar com a usabilidade do negócio e ainda se certificar que vai rodar em firefox, I.E. e o diabo a quatro.

O webdesigner não pode só saber de design, ele tem que manjar um pouco de impresso e ir além, programação, ter uma noção de fotografia, se preocupar (muito!) com o usuário, dominar o inglês e saber lhe dar com as gambiarras no flash na hora de parir aquele trabalho no prazo imposto pelo cliente ou chefia (aliás, saber negociar prazos também é fundamental).

Fora que, depois de tudo aquilo de trampo você ainda ouve “mas não dá quando você passar o mouse no fulano, o beltrano se mexer e passar por trás de cicrano?”
Como se isso desse para fazer em 2 minutos (mal sabe que talvez só em 2 dias você conseguiria resolver).

Não. Quem não é de web nunca vai entender o quão complexo é o que a gente faz. Quem sabe um dia esse sonho se torne realidade.

O que pode acontecer também é pedirem pra você fazer uma coisa “simplesinha” e que não precisa de nada requintado (ou seja, é pra ontem!!). Pois é, “Tosco” acabou de mudar de nome. Eu me recuso a fazer coisas toscas, por isso que ralo muito em todas as coisas simples que me pedem.
Tem uma frase que não me esqueço que um professor da facu costumava dizer:
“É simples fazer algo complicado, mas muito complicado mesmo é conseguir fazer algo simples”.

O simples é o bem acabado, é o objetivo, é o que o seu público quer ver, é a boa idéia e é o melhor a ser feito, mas é o mais complicado.

É por isso meu amigo webdesigner que eu digo: Tenha paixão pelo que faz! E é por isso também que eu faço sempre o melhor a cada trabalho dentro dos limites de tempo que tenho.

Veja todos os posts sobre: